Entretenimento

Últimas notícias sobre artes, cinema, teatro, televisão, música e coberturas especiais de eventos no Brasil e no mundo.

  1. Em entrevista ao programa 'Encontro', cantor falou sobre os sintomas da doença e seu processo de recuperação. Dinho Ouro Preto diz que precisou de sessões de fono para recuperar a voz após Covid-19 Reprodução/Instagram Dinho Ouro Preto afirmou, durante entrevista ao programa "Encontro", que precisou passar por sessões de fonoaudiologia para recuperar a voz após a Covid-19. O cantor foi diagnosticado com a doença em março. Na época, relatou sentir "dor no corpo, febre e náusea". "Estou bem, já faz alguns meses", declarou Dinho nesta quinta-feira (9). "Num primeiro momento, tive algumas dificuldades ligadas à respiração. Tentei correr, por exemplo, e quase tive um troço. Tenho a impressão que a recuperação do pulmão foi um pouco mais demorada do que eu antecipava. Na verdade, durou duas semanas, fiquei com problemas nas cordas vocais, tive dificuldade de cantar. Cheguei a fazer umas sessões de fono para recuperar a minha voz". Dinho também afirmou que ainda não conseguiu voltar ao ritmo de corrida que tinha antes da doença. "Quanto à minha capacidade atlética, eu tinha o hábito de correr antes de contrair o vírus. Eu corria diariamente. Eu ainda não voltei à forma que eu estava antes." Apesar disso, o cantor diz que está tudo bem e considera que teve a versão moderada do vírus. "Não tive versão assintomática, não tive sequer uma versão leve. Acho que tive uma versão mediana. Tive 15 dias de febre, dificuldade de respirar no final. Mas me recuperei sem ser necessária a hospitalização. E o único remédio que tomei foi contra febre." Dinho ainda relembrou que, nos últimos anos, também superou os diagnósticos de dengue e gripe suína, além de se recuperar de uma queda de um palco de três metros de altura e uma infecção hospitalar que adquiriu durante a internação após o acidente. "Essa segunda coisa que acontece acabou sendo muito mais grave do que a queda em si. Aquele treco quase me mata", recordou o cantor. Saiba quais famosos já se curaram da Covid-19

  2. Trajetória transgressora do feminino quarteto paulistano é contada em narrativa concentrada no período 1982-1988. ♪ Em 1986, quando o grupo Titãs cresceu aos olhos do público e da crítica com Cabeça dinossauro, álbum de virulência punk, outra banda paulistana lançou álbum igualmente cheio de som e fúria punk com músicas que também alvejavam instituições sociais como a igreja e a polícia. Formada em 1982, essa banda era as Mercenárias, cuja formação clássica incluiu Rosália Munhoz (voz), Ana Maria Machado (guitarra e vocal), Sandra Coutinho (baixo) e Lou (bateria), sendo que o guitarrista Edgard Scandurra também integrou o grupo como baterista até ser substituído por Lou. Cadê as armas? era o título daquele disco punk lançado pelo selo indie Baratos Afins. Essa trajetória transgressora – encerrada em 1988 com a demissão das Mercenárias pela EMI-Odeon, gravadora pela qual a banda feminina lançou o segundo e último álbum, Trashland (1987) – será contada pelo jornalista paulistano Lucas Lima em biografia prevista para ser editada em 2021. Reativada nos anos 2000, a banda Mercenárias está em cena atualmente como power trio formado pela baixista-fundadora Sandra Coutinho com a baterista Michelle Abu e a guitarrista Marianne Crestani. Contudo, a narrativa encadeada por Lucas Lima no livro intitulado Somos sucesso – A biografia das Mercenárias está concentrada no período que vai de 1982 a 1988, partindo de 1977, ano em que integrantes da banda se conheceram em invasão em faculdade da cidade de São Paulo (SP) para fins políticos. A propósito, a biografia é resultado da expansão do texto apresentado pelo autor do livro em dezembro de 2019 como trabalho de conclusão de curso universitário. A pesquisa para a redação desse texto biográfico começou em 2018 e incluiu entrevistas com ex-integrantes da banda e com testemunhas oculares da história das Mercenárias. Cada capítulo do livro será aberto com ilustração de Paloma Miguel. Fotos da época áurea da banda também estarão nas páginas da biografia em que Lucas Lima pretende mostrar que, dentro do circuito alternativo do rock brasileiros dos anos 1980, as Mercenárias foram sucesso.

  3. Programa musical também viu morte de dois atores, caso de violência doméstica envolvendo uma das estrelas e um ensaio fotográfico acusado de pedofilia. Naya Rivera em foto do último dia 18 de novembro Joshua Blanchard/Getty Images for Alliance of Moms/AFP O desaparecimento da atriz Naya Rivera, a Santana de "Glee", nesta quarta (8) é mais uma tragédia relacionada ao elenco do programa musical, sucesso entre 2009 e 2015. Veja, abaixo, essa e outras polêmicas envolvendo "Glee". Desaparecimento de Naya Rivera Atriz de 'Glee' Naya Rivera desaparece após passeio de barco em lago nos Estados Unidos Naya Rivera, de 33 anos, estrelou seis temporadas da série e é considerada desaparecida desde a noite desta quarta-feira (8). A americana sumiu após um passeio de barco no Lago Piru, na Califórnia. Equipes de resgate seguem à procura da atriz, informou a polícia local. Naya alugou um barco por volta das 13h, e saiu para navegar com o filho de quatro anos. Segundo o xerife do condado de Ventura, Eric Buschow, a atriz chegou a nadar no lago com o menino. Policiais encontraram o garoto dormindo no barco por volta das 17h e, de acordo com o site TMZ, ele informou para as autoridades que a mãe havia pulado na água, mas não voltou. Imediatamente, a equipe iniciou uma operação de buscas, que fez uma pausa durante a noite. Acusação de humilhações no set Samantha Marie Ware, da série 'Glee', diz que Lea Michele fez de sua estreia na TV 'um inferno' Reprodução/Instagram Samantha Marie Ware, conhecida por seu trabalho em "Glee", afirmou que Lea Michele fez de sua estreia na TV "um inferno". O desabafo de Samatha aconteceu em resposta a uma publicação de Lea sobre a morte do ex-segurança George Floyd, nos Estados Unidos. "George Floyd não merecia isso. Não foi um incidente isolado e isso deve acabar", escreveu Lea. Em resposta a publicação de Lea no Twitter, Samantha escreveu: "Rindo muito! Você se lembra de quando fez do meu primeiro trabalho na TV um inferno? Porque eu nunca vou esquecer. Acho que você disse para todo mundo que, se tivesse a oportunidade, 'cagaria na minha peruca’, entre outras pequenas agressões traumáticas que me fizeram me questionar sobre a carreira em Hollywood". Morte de ator e acusação de pornografia infantil Mark Salling em cena de divulgação de 'Glee' Divulgação O ator Mark Salling, o Noah "Puck" Puckerman da série "Glee", morreu em 2018. A descoberta do corpo de Salling pendurado em uma árvore perto do rio Los Angeles, em Sunland, aconteceu meses depois de o ator ter se declarado culpado pela posse de imagens de pornografia infantil. Ele chegou a ser preso em dezembro de 2015 após a polícia local encontrar centenas de registros "de menores de idade em condutas sexuais explícitas". Mas em outubro de 2017, conseguiu um acordo com o promotor para ser sentenciado a até sete anos de prisão, escapando de uma sentença que poderia chegar a 20 anos de reclusão. Em 2013, Mark Salling também foi acusado de agressão sexual por uma ex-namorada. Ela disse que o ator teve relação sexual com ela sem proteção, apesar dos pedidos para o uso de camisinha. Overdose do protagonista Cory Monteith e Lea Michele participam do 12º Balie Chrysalis Butterfly em 8 de junho de 2013, em Los Angeles, Califórnia AFP Em julho de 2013, o ator Cory Monteith, que fazia o galã Finn Hudson em "Glee", foi encontrado morto aos 31 anos em um hotel de Vancouver, no Canadá. As autoridades confirmaram que o protagonista da série morreu após injetar heroína e beber champanhe. Monteith era um dos personagens principais de "Glee" e par romântico na série (e na vida real) da atriz Lea Michele. Morte misteriosa Foto publicada em 13 de junho no Instagram da atriz de 'Glee' Becca Tobin, ao lado do namorado Matt Bendik, encontrado morto em hotel em Filadélfia Reprodução/Instagram/becbecbobec Cerca de um ano depois da morte de Cory Monteith, o namorado da atriz Becca Tobin, a Kitty de "Glee", foi encontrado morto em um hotel na Filadélfia (EUA). Na época, a investigação sobre a circunstância da morte do executivo Matt Bendik, de 35 anos, foi inconclusiva. Nenhuma droga, medicação ou arma foi encontrada em seu quarto, e o motivo do falecimento nunca foi esclarecido. Segundo o tabloide britânico "Daily mail", familiares de Bendik acreditam que ele tenha sofrido um ataque cardíaco devido a estresse. Violência doméstica Casal Ryan Dorsey e Naya Rivera no Golden Globes de 2015 Reprodução/Facebook Em novembro de 2017, a atriz Naya Rivera foi presa e acusada de agredir seu marido Ryan Dorsey. Em um vídeo divulgado na época por uma TV local, Rivera aparece algemada e vestida com um capuz e uma calça de moletom enquanto é questionada sobre o caso. Ela pagou uma fiança de US$ 1 mil e foi liberada. De acordo com reportagem da emissora WSAZ, Dorsey diz em sua acusação que foi atingido na cabeça e no lábio inferior enquanto levava os filhos para uma caminhada. Ele também teria dado à polícia um vídeo onde mostra que foi agredido. Acusação de pedofilia Lea Michele disse que não sabe como Terry Richardson os 'convenceram a fazer metade das coisas' Divulgação Era 2010, no boom de "Glee", um ensaio fotográfico para a revista "GQ" com os atores Cory Monteith, Lea Michele e Dianna Agron foi acusado de "beirar a pedofilia" por um conselho de pais que discute a programação da televisão americana. As imagens feitas pelo polêmico fotógrafo Terry Richardson, ainda investigado por denúncias de abusos sexuais, mostram Michele e Agron vestidas sensualmente, de minissaias ou apenas de calcinha. Na época, o Parents Television Council disse que era "inquietante que a 'GQ', que é uma revista explicitamente escrita para adultos, mostre fotos desse tipo de atrizes que interpretam estudantes em 'Glee'. Beira à pedofilia". Na época, Dianna Agron e Lea Michele tinham 24 anos, enquanto Monteith tinha 28. Morre ator Mark Salling, o Puck, de "Glee", aos 35 anos

  4. 'A gente vem ajustando nossas previsões de acordo com um acompanhamento sistemático da evolução da pandemia no país', informa a comunicação da emissora. Cena da novela 'Amor de mãe', com Regina Casé, Thiago Martins e Nanda Costa Isabella Pinheiro/Gshow A Globo ainda não tem uma definição sobre a data de retomada das gravações das novelas. Em março, todas as filmagens foram paralisadas por causa da pandemia de coronavírus. A comunicação da emissora informou que está "trabalhando há meses com vários cenários, que nos apontam algumas possibilidades, mas sem condições ainda de definir datas". "A gente vem ajustando nossas previsões de acordo com um acompanhamento sistemático da evolução da pandemia no país." A emissora também informou que "durantes esses meses, fomos também nos adaptando à nova realidade e aprendendo outras formas de trabalhar." "Aliando o aprendizado adquirido com as nossas operações a inúmeros estudos de iniciativas adotadas por empresas de audiovisual de outros países, criamos um rigoroso Protocolo de Segurança para a retomada, com amplo e abrangente conjunto de medidas. Temos avançado aos poucos." Segundo a coluna da Patricia Kogut desta quinta (9), as gravações de "Amor de Mãe" podem ser retomadas em julho e os atores e equipe vão ficar isolados em hotel. Além disso, a novela de Manuela Dias deve ser encurtada e os capítulos serão adaptados à nova realidade. Adaptação no 'Encontro' e novos conteúdos Sobre esse avanço, ela cita o retorno do programa "Encontro" ao vivo, em estúdio e sem plateia, "com um formato diferente para atender as necessidades de segurança para a equipe". Outra adaptação à nova realidade é a gravação do programa "Diário de um Confinado" de forma remota. "Uma produção de dramaturgia gravada remotamente fora dos estúdios, com as equipes trabalhando de suas casas e com novas ferramentas desenvolvidas pela nossa tecnologia especialmente para esse período", explica. "Nas últimas semanas, temos compartilhado essas experiências e aprendizados e sobretudo o nosso Protocolo de Segurança com todas as equipes, para que todos conheçam, contribuam com as suas dúvidas e sugestões e se familiarizem com todas as medidas previstas para resguardar nossos profissionais, em todas as etapas de produção. E assim vamos avançando, até que o desdobramento da pandemia nos dê condições de confirmar próximos passos, datas e previsões", finaliza. 'A Força do Querer' vai ser reprisada? A Comunicação da Globo também informou não ter nenhuma confirmação sobre a entrada da reprise de "A Força do querer" para substituir "Fina Estampa" enquanto as gravações da novela "Amor de mãe" não são retomadas. "Não temos confirmações sobre essa ou qualquer outra reprise." A possibilidade do retorno da novela ao ar ganhou espaço nas redes sociais na última semana, animando fãs e elenco, incluindo Juliana Paes, protagonista da trama. "Criatura, você não brinque com meu coração! É sério? Rede Globo, me confirme! Nunca pedi nada", escreveu a atriz no Twitter. Globo amplia programação de jornalismo e exibir 'Fina estampa' no lugar de 'Amor de mãe'

  5. Apresentadora e Bruno Gagliasso celebraram a chegada do terceiro filho do casal na noite desta quarta-feira (8). 'Ele é uma alegria para nós.' Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso celebram a chegada de Zyan, terceiro filho do casal Reprodução/Instagram Giovanna Ewbank deu à luz Zyan, seu terceiro filho com o ator Bruno Gagliasso, na noite desta quarta-feira (8), no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela assessoria da apresentadora e compartilhada por eles nas redes sociais. "Mãe e o filho caçula se encontram bem", informou a assessoria. Zyan veio ao mundo de parto normal. O bebê pesa 2,9 quilos e mede 48 cm. "Eu não consigo explicar em palavras a emoção que sinto ao segurar o Zyan em meus braços e não vejo a hora de apresentá-lo a seus irmãos que estão ansiosos para conhecê-lo", disse a apresentadora. Giovanna e Bruno já são pais de Titi, de 7 anos de idade, e Bless, de 5. Segundo a assessoria de Giovanna, "por conta da pandemia do Covid-19, ela não pode receber visitas na maternidade e tem como único acompanhante o marido, Bruno Gagliasso". "O Zyan é lindo e chega rodeado de amor. Ele é uma alegria para nós e para Chissomo e Blessings, que viram seu crescimento na barriga do Gio com a mesma ansiedade que a minha", comemora o pai. Giovanna Ewbank Reprodução/Instagram A primeira notícia sobre o nascimento de Zyan foi dada pelo ator Helio de la Peña. Nesta quarta-feira (8), ele assumiu as redes sociais de Bruno e fez uma série de lives. Em uma delas, enquanto conversava com Paloma Santos, o ator anunciou a chegada de Zyan ao mundo. "Êêêêê seja bem vindo Zyan! Durante nossa live pós lives, recebemos a notícia maravilhosa do nascimento de Zyan. Parabéns, Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso", escreveu Helio. Horas antes do parto, Giovanna fez uma série de stories no Instagram para falar sobre uma versão solidária do chá de bebê do filho. Nas imagens, a atriz, por diversas vezes, parece estar sentindo dor com os chutes do bebê e as cólicas. Em um dos vídeos, a atriz coloca as mãos na barriga e pede "calma". Horas antes de parto, Giovanna Ewbank mostra barriguinha e relata chutes de Zyan e cólica Giovanna e Bruno anunciaram que a família iria crescer em dezembro de 2019. "A família cresceu! Agora somos cinco! Fomos pegos de surpresa e a ficha ainda está caindo", escreveu a atriz em sua conta no Instagram.